Um molho cremoso baseado em atum, tomate, azeitonas pretas e perfumado de coentro. Ideal para massas e saladas, ou para espalmar em torradas de pão caseiro, para criar uma entrada deliciosa e alegre.

  • Glúten Free

O NOME: Ao Sudoeste da Sardegna se encontra a pequena e encantadora ilha de San Pietro, rochosa e íngreme de um lado, mais plana e arenosa do outro. Possui lindas praias afastadas, falésias e piscinas naturais e o mar é conhecido como um paraíso da pesca subáquea.

A ilha de San Pietro é um óasis natural bastante conhecido, menos badalado e famoso da Sardegna propriamente dita. A cidadezinha de Carloforte é o único centro urbano da ilha.

A ilha, então desabitada, foi ocupada em 1738 por uma população de origem lígure, que vivia desde o século XVI na ilhota tunisina de Tabarka. Por causa de conflitos com os turcos, esta população decidiu emigrar para San Pietro, com a autorização do rei Carlo Emanuele III de Savoia, em honra do qual foi fundada a cidade de Carloforte. Ainda hoje, em Carloforte se fala a antiga língua lígure, chamada de Tabarquina.

A pesca do atum vermelho já foi, a principal atividade da ilha e hoje continua, entre maio e junho, segundo os métodos tradicionais da “tonnara”, para manter vivo um patrimônio cultural da tradição. Na tonnara os peixes, que seguem um percurso fixo ano após ano, são atraídos numa corredeira feita com redes de pesca, até a assim chamada “câmara da morte”, onde os atuns são pescados com o arpão pelos homens, de pé nos barcos colocados em círculo.

A ESTRELA: O nosso molho de atum, dedicado a Carloforte, une o sabor do peixe ao frescor do tomate e aos aromas de cebola, azeitona preta e coentro.

SUGESTÕES GASTRONÔMICAS: Este molho, além das massas, é delicioso para temperar uma salada de folhas, acrescentando somente um pouco de azeite de oliva extra virgem e fatias de ovo cozido. Também, recomendamos o Carloforte espalmado em cima de fatias de pão caseiro torrado. O vinho será branco, frutado e leve: entre os italianos, um Pinot Grigio ou um Trebbiano dAbruzzo, entre os argentinos e os chilenos, um Sauvignon Blanc, sem esquecer um dos deliciosos espumantes secos brasileiros.